23 de jun de 2011

O lar nossa primeira escola.

Ensina o menino no caminho em que deve andar, e até quando envelhecer não se desviará dele.” (Pv 22.6)

Sempre por nós engrandecido, aplaudido e abençoado o trabalho dos professores que exercem o magistério. Todos nós fomos alunos, ainda somos da vida, enfim um verdadeiro sacerdócio que até deveria ser mais valorizado.
        Porém nossa primeira grande escola é nossa casa, dentro dela é que aprendemos na prática, no exemplo as diretrizes para a nossa vida.
O texto de provérbios é claro, ensina a criança o caminho que deve andar, entendemos nós quando criança.
A primeira escola, primeira catequese, tudo isto passa pelo lar, pela família. Cabe aos pais ensinarem e não transferirem a base da formação para escolas. Estou me referindo a base, pois o exemplo do que é ouvido, visto e vivido dentro do lar, vai refletir na vida da pessoa.
Muito se tem discutido sobre ensino religioso nas escolas.Eu como sacerdote, entendo que a base cristã se deve ser ensinada na casa, depois na igreja e quando a criança em idade adulta, então ela deve ter liberdade para escolha de sua igreja.
O que vai contar é o lar, sempre o lar. Vejam que tipo de ensino religioso poderíamos ter? A base da moral e educação cristã? Sim, senão houvesse TENDÊNCIAS, no ensinamento, uma vez que o estado é laico, já ouvi absurdos de pessoas ensinando até o ERRO terrível que o Brasil tem religião oficial. O Brasil não tem religião oficial, somos um país cristão, que com cristãos devemos amar, respeitar até os não cristãos.
Eu lembro dos primeiros anos escolares, o que se tinha na pratica : no inicio da primeira a aula, se orava o PAI NOSSO, nada mais que isto.
Pois se falar de Deus, etc é maravilhoso, agora temos que entender que isto em um estado laico, pode haver tendências, até sem intenção.
E realmente está na hora de se rever a questão dos símbolos religiosos em   repartições públicas. Uma vez que alguma instituição  revindique para si  tais simbolos deixam de serem públicos. Isto se houver algum grupo no país que clame para si, algum símbolo. Havendo isto, lamentavelmente não podemos aceitar, o estado é de todos. Não é meu pensamento, símbolo algum religioso ser de grupos, pois são bíblicos e alguém na terra teria coragem de alegar que Jesus ou seus santos apóstolos lhes delegaram exclusividade?
Eu gosto muito de ver a Cruz , sou cristão,  ao ver a cruz, eu lembro do sacrifício e da vitória que nela temos, pois o Senhor venceu a morte, ressuscitou e está vivo.Mas se um grupo alegar com seu, então deixa de ser publico.Somos um estado laico, cristão na prática pela maioria, que deve respeitar a todos.Não podemos ter dois pesos e duas medidas.
Melhor caminho: Começar pela casa ensinando, o amor, o respeito e quem é cristão, as orações, a grandeza do amor de Deus, isto sim levará nossas crianças já com uma base para escolas e para a vida como um todo.
Na próxima semana na Paróquia do Bom Jesus em Bauru, santa bênção especial para a família.
Paz e bem com uma benção especial a todas as crianças, aos pais que dão amor e ensino e aos professores do Brasil.
+Pe Damásio